Endometriose

O endométrio é o tecido que recobre a parte interna do útero. A endometriose é uma doença que se caracteriza pela existência de fragmentos do endométrio fora do útero. Esses fragmentos geralmente se instalam em outros órgãos localizados na região da pelve, como trompas, ovários, bexiga, intestinos, entre outros. A doença afeta mais de seis milhões de brasileiras e pode levar à infertilidade.

Devido à menstruação e à presença dos hormônios estrogênio e progesterona no sangue, o endométrio se torna mais espesso todo mês, condição essencial para que um óvulo, após a fecundação, se implante em sua superfície. Caso não haja a fecundação, o endométrio é expelido na menstruação.

Apesar de poder acontecer em qualquer momento da vida da mulher, desde a primeira menstruação até a última, a endometriose é diagnosticada, de modo geral, em pacientes com cerca de 30 anos, o que já representa um problema, porque quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maiores serão as chances de tratamento. É importante procurar o ginecologista assim que notar os primeiros sintomas.

A endometriose é uma doença crônica, portanto a mulher precisa fazer acompanhamento constante com ginecologista.

Sintomas

Os sintomas da endometriose são parecidos aos de muitas outras doenças, por isso é importante que a mulher procure orientação médica tão logo observe qualquer alteração no ciclo menstrual ou dor importante na região pélvica, principalmente durante o período menstrual.

Apesar dos sintomas serem semelhantes, em várias doenças, dois deles devem receber especial atenção, pois são os mais sugestivos da endometriose:

  • Dificuldade de engravidar;
  • Dor intensa durante o período menstrual.

A intensidade da dor pode variar de mulher para mulher e aumentar com o passar do tempo. Há mulheres que não sentem dor e há mulheres que chegam a ter dores incapacitantes. Alguns sintomas mais comuns relacionados à endometriose:

  • Dificuldade de engravidar ou infertilidade;
  • Dor intensa na região pélvica;
  • Dor antes ou durante a menstruação;
  • Dor intensa durante ou após a relação sexual, em penetrações profundas;
  • Dor ao urinar ou evacuar, assim como diarreia e prisão de ventre, sem causa aparente;
  • Sangramento menstrual excessivo;
  • Alterações intestinais ou urinárias durante a menstruação.

Exames e diagnóstico

Em muitos casos, o ginecologista identifica a doença analisando o histórico da paciente e realizando o exame clínico ginecológico, que revela dor na região pélvica e nódulos ao toque. O ultrassom transvaginal em primeira fase do ciclo realizado com preparo intestinal, por profissional com experiência em diagnósticos de endometriose, é o principal exame de imagem.

Tratamentos

O tratamento depende do que se busca. Controle da dor e qualidade de vida ou tratamento da infertilidade. Se for a dor, deve ser tentado o tratamento clínico por meses. A escolha do tratamento clínico deve ser individualizado.

Os casos resistentes poderão receber o tratamento cirúrgico. A cirurgia deve ser realizada por experiente especialista em vídeo-laparoscopia. Muitas vezes equipes multidisciplinares irão atuar para fazer remoções de focos da doença no aparelho urinário e ou intestinal.

Se o problema for infertilidade esta mulher deve ser encaminhada o mais rápido a um especialista em Reprodução Humana.

Um aspecto importante da doença é que a endometriose é dependente do hormônio estrogênio. Por isso, a gravidez pode ser considerada um tratamento para a doença, pois reduz os níveis do hormônio e, consequentemente, provoca a remissão da doença durante este período.

 

Agende agora a sua consulta

Clique aqui
Endometriose
Avalie esse conteúdo