Doação de Embriões

Doação de Embriões

A doação de embriões é uma técnica que oferece a possibilidade de engravidar a casais que não conseguem ter filhos de maneira natural por diversas razões.

O embrião doado é transferido ao útero da mulher em laboratório após a preparação endometrial com hormônios (estrogênio e progesterona).

Assim como a doação de óvulos e a doação de sêmen, a doação de embriões é regulada pela lei n. 2121 do Conselho Federal de Medicina (CFM), que determina algumas regras para a doação. Seguem alguns itens importantes da lei

  • A doação não poderá ter caráter lucrativo ou comercial.
  • Os doadores não devem conhecer a identidade dos receptores e vice-versa.
  • A idade limite para a doação de gametas é de 35 anos para a mulher e de 50 anos para o homem.
  • Será mantido, obrigatoriamente, o sigilo sobre a identidade dos doadores de gametas e embriões, bem como dos receptores. Em situações especiais, informações sobre os doadores, por motivação médica, podem ser fornecidas exclusivamente para médicos, resguardando-se a identidade civil do(a) doador(a).
  • As clínicas, centros ou serviços onde é feita a doação devem manter, de forma permanente, um registro com dados clínicos de caráter geral, características fenotípicas e uma amostra de material celular dos doadores, de acordo com legislação vigente.
  • É permitida a doação voluntária de gametas masculinos, bem como a situação identificada como doação compartilhada de oócitos em RA, em que doadora e receptora, participando como portadoras de problemas de reprodução, compartilham tanto do material biológico quanto dos custos financeiros que envolvem o procedimento de RA. A doadora tem preferência sobre o material biológico que será produzido.

Indicações da doação de embriões

A doação de embriões é indicada para casais com fatores severos de infertilidade relacionados à quantidade e/ou à qualidade tanto dos óvulos como dos espermatozoides.

Como é feita a doação de embriões

Muitos casais precisam do auxílio da fertilização in vitro (FIV) para conseguirem a gravidez. Nesse processo, são gerados muitos embriões e nem todos são utilizados. Às vezes, o casal consegue a gravidez sem precisar utilizar todo o material fertilizado.

Esses embriões gerados devem ser mantidos em criopreservação, portanto, após o processo da FIV, alguns permanecem congelados.

Quando isso acontece, o casal pode optar por doar esses embriões a outros casais que tenham dificuldades de engravidar e precisem de embriões viáveis.

O material doado passa por uma análise que verifica suas condições e se têm a qualidade necessária para serem implantados em uma possível receptora. Em caso positivo, eles ficam disponíveis para utilização.

 

Agende agora a sua consulta

Clique aqui