Entenda como funciona a ultrassonografia pélvica

Home / Uncategorized / Entenda como funciona a ultrassonografia pélvica

Infertilidade Masculina

Entenda como funciona a ultrassonografia pélvica

A ultrassonografia pélvica é um exame feito por imagem para diagnóstico de alterações e lesões nos órgãos no interior da pélvis — tubas uterinas (antigas trompas de Falópio), ovários e útero, e também artérias e veias dessa região. Pode ser feita também para confirmar uma gravidez e as gestantes podem acompanhar o desenvolvimento do seu bebê durante a gestação por meio dessa ultrassonografia.

Além de não ser invasivo, é um método que não apresenta efeitos colaterais e não utiliza nenhum tipo de radiação, embora seja um exame por imagem. É um dos primeiros exames solicitados pelo ginecologista quando há alguma alteração no sistema reprodutor da mulher.

Vamos abordar neste post a diferença entre a ultrassonografia pélvica e transvaginal e, ainda, como o ultrassom pélvico pode ajudar a identificar doenças no útero. Acompanhe!

Qual a diferença entre ultrassonografia pélvica e transvaginal

Existem três tipos de ultrassonografia pélvica: a abdominal (ou suprapúbica), a transvaginal para as mulheres e a transretal, geralmente feita em homens. As ultrassonografias pélvica e transvaginal investigam praticamente os mesmos órgãos. A diferença é a via de acesso para sua realização.

A transvaginal é feita pelo interior da vagina da paciente, com a introdução de um pequeno aparelho para obtenção de imagens da região pélvica. Já na ultrassonografia suprapúbica, as imagens são geradas por um aparelho colocado em cima do abdômen inferior, dando uma ótima visão dos órgãos internos da paciente.

Como funcionam e quando são indicadas?

Para realizar o exame, a paciente deve ficar no mínimo duas horas sem urinar e ingerir de quatro a oito copos de água uma hora antes do exame. Para o exame transvaginal, a paciente deita-se em uma maca com as pernas afastadas para que o médico possa introduzir o transdutor pelo canal vaginal. Já para a ultrassonografia pélvica, o médico passa um gel no abdômen da paciente para deslizar melhor o transdutor.

Durante o exame, pode haver um certo incômodo pela bexiga cheia, mas a bexiga precisa estar cheia para que se obtenham boas imagens, que facilitem a interpretação do médico especialista. O exame leva de 20 minutos a 1 hora e não provoca nenhuma dor.

Esses exames são indicados para investigar as causas de dores abdominais, detectar gravidez, acompanhar o desenvolvimento do feto, diagnosticar doenças no útero, ovários e tubas uterinas. A ultrassonografia pélvica também é feita para diagnosticar e tratar a infertilidade do casal que deseja engravidar.

É possível detectar doenças no útero durante a ultrassonografia pélvica?

A ultrassonografia pélvica produz imagens dos órgãos da parte inferior do abdômen ou da região pélvica. Ela possibilita investigar se há alterações no colo de útero. Algumas doenças podem ser diagnosticadas pela ultrassonografia pélvica:

  • câncer de colo do útero;
  • cistos nos ovários;
  • incontinência urinária;
  • miomas uterinos;
  • endometriose;
  • problemas menstruais;
  • infertilidade;
  • sangramento anormal do útero.

No caso da infertilidade, o exame ajuda no tratamento, pois permite a avaliação dos ovários e do útero, permitindo identificar alterações neste órgão. Durante o tratamento, este método acompanha o crescimento dos folículos durante a estimulação ovariana e também permite o acompanhamento do desenvolvimento da espessura endometrial.

A ultrassonografia pélvica é um exame muito importante para descobrir a causa de vários sintomas e ajuda a descobrir algumas doenças que, se forem tratadas desde o início, podem ser curadas a tempo. É muito importante lembrar que esse exame deve ser realizado em clínicas especializadas que ofereçam o serviço e tenham credibilidade.

Se gostou do post e quer entender mais sobre o assunto, leia agora mesmo o texto ultrassonografia pélvica. Até a próxima!

Agende uma consulta Clique aqui